"As sete regras de ouro da Ecocardiografia", por Dr. Nathan Herszkowicz.
leia mais

Ecocardiografia na Prática Clínica. Problemas e Soluções.
leia mais

Curso de Ecocardiografia para médicos intensivistas
leia mais

 

Cálculo da área valvar aórtica (equação de continuidade)

Da mesma forma que para a valva mitral, podemos usar o conceito de conservação da massa para calcular a área valvar aórtica. Assim, conhecendo a área da via de saída do VE, a integral da velocidade da via de saída do VE com Doppler pulsátil e a integral da velocidade aórtica com Doppler contínuo, podemos estimar a área valvar aórtica (AVA = Avsve . VTIvsve / VTIao).




O diâmetro da VSVE deve ser aferido pela posição paraesternal longitudinal, próximo ao plano valvar aórtico.

A integral da velocidade da VSVE é melhor aferida desde a posição apical de 3 ou 5 câmaras, com Doppler pulsátil.

A integral da velocidade aórtica deve ser obtida desde a posição apical de 3 ou 5 câmaras, com Doppler contínuo.

Este cálculo deve ser realizado toda vez que houver suspeita de disfunção contrátil, pois o gradiente aórtico pode estar subestimado.

Classificação da estenose valvar aórtica (ACC/AHA Practice Guidelines. JACC 2006,48:598-675)

Grau da Estenose Pela Área Valvar Pelo Gradiente Médio Pela Velocidade do Jato
Área normal 2,5-4,5 cm² - -
Estenose discreta  > 1,5 cm² < 25 mmHg < 3,0 m/s
Estenose moderada 1,0-1,5 cm² 25-40 mmHg 3,0-4,0 m/s
Estenose importante < 1,0 cm² > 40 mmHg > 4,0 m/s

voltar

 
 
 
 
Cursos Unieco - Direção: Nathan Herszkowicz
Rua Peixoto Gomide 515 Conjunto 54 - Centro Médico Peixoto Gomide
Cerqueira Cesar (Metrô Trianon) - CEP: 01409-001 - São Paulo/SP
Telefone: (11) 3758-3381 | (11) 3596-3337
Desenvolvimento: Interpágina